MOS | Resenha: Sombras Prateadas...?

17:06

Ei, pessoas, tudo numa boa? Então, o post de hoje é uma resenha opinativa sobre Sombras Prateadas (aliás, nome horrível, apesar de ser a tradução literal do título original).

Autor(a): Richelle Mead
Tradução: Guilherme Miranda
N° de Páginas: 416
Editora: Seguinte
Série Bloodlines
Ano: 2015
Título Original: Silver Shadows
Nota: ★★

Sinopse: Sydney Sage arriscou tudo. Ainda infiltrada na organização, trabalhava contra os alquimistas e vivia um romance secreto com o vampiro Adrian Ivashkov. Qualquer deslize poderia trazer tudo por água abaixo, e foi exatamente o que aconteceu: sua própria irmã descobriu seu relacionamento proibido e a denunciou, fazendo com que Sydney fosse capturada pelos seus pares e mandada para a terrível reeducação.Lá, as condições de higiene e de conforto eram mínimas, e a única comida disponível era um mingau insosso. Nos poucos momentos em que ela ficava acordada, uma voz metálica tentava convencê-la a “confessar seus pecados”. E quando dormia, seu sono induzido por medicamentos não trazia sonho nenhum — muito menos com Adrian. Cercada de inimigos e sem saber onde estava ou como sairia dali, Sydney luta para manter sua identidade, sua capacidade de pensar por si mesma e, principalmente, a esperança de que encontrará Adrian novamente.


Acho que algumas pessoas que me conhecem e/ou que acompanham o blog há um tempinho devem saber que eu gosto bastante do trabalho da Richelle Mead, no entanto, comparado aos outros livros da autora que eu li até agora (série Vampire Academy e Bloodlines), Sombras Prateadas foi decepcionante.

Eu concordo com o que algumas pessoas dizem: Sydney Sage não é uma boa protagonista, ela é maçante e enrola demais. Até mesmo o Adrian Ivashkov (♥) não me encantou como de costume. Eu admito que ele estava sofrendo e etc, mas o seu comportamento me irritou várias vezes. Sem falar, é claro, que é possível contar nos dedos quantos personagens secundários realmente valem a pena.

Outra coisa que eu não gostei foi o romance dos dois protagonistas, que se transformou em algo meloso e entediante, nada parecido com os livros anteriores.

As cenas de ação também não foram lá essas coisas. As partes de luta que eram bem construídas e que prendiam o leitor, como podemos ver em Vampire Academy, se tornaram confusas e chatas.

Agora, houve pontos positivos? Sim, mas a qualidade da escrita da autora caiu bastante. Me arrependi de ter lido? Não, ainda tenho esperança de que o último livro da série vai superar as expectativas.

Bom, gente, por hoje é só. Não me odeiem, leiam o livro se quiserem... Sejam gentis nos comentários, ok?

Até mais, pessoas.

You Might Also Like

0 comentários

últimas postagens

Licença Creative Commons
Não Se Preocupe Com Isso de Júlia Miyashiro está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional